II Módulo do Curso aborda a violência nos modos de vida de prostitutas pobres

Com intuito de ampliar o conhecimento do público em geral acerca da realidade das mulheres em situação de prostituição e a incorporação de temas relativos a defesa e garantia dos direitos das mulheres, o Projeto Força Feminina promoveu, no último dia 17 de julho de 2015, no Espaço Cultural da Câmara de Salvador, o segundo módulo do curso “Desconstruindo o Muro da Invisibilidade: Exploração, Tráfico e Prostituição”. Esta atividade faz parte de uma das ações do Projeto de Execução para 2015, aprovado pela Caritas Brasileira/CNBB/FNAS.
Nesse segundo encontro os participantes contaram com a mediação da Comunitária e Mestra em Psicologia Social, Lorena Brito, que, ricamente, ampliou os conhecimentos acerca das implicações psicossociais da violência nos modos de vida de prostitutas pobres. Lorena tem uma reconhecida vivência com esse público, dada à experiência como psicóloga do Projeto Força Feminina, entre os anos de 2010 a 2013, e tendo desenvolvido sua dissertação de mestrado com base em mulheres pobres e em situação de prostituição da Ponta da Barra - Ceará.

Lorena Brito buscou trabalhar o seu tema com base na tríade: Pobreza, Prostituição e Território, desenvolvendo assim subtemas como:
-Modos de vida na baixa prostituição: o cotidiano e o imprevisível;
-Questões sobre a relação entre prostituição e violência: onde o direito é negado, a violência ganha voz;
-Violências: histórias, conceitos e problemáticas;
-Violência em rede: marcas simbólicas e materiais e
-Implicações psicossociais da violência no cotidiano da prostituição: sentidos, expressões e desdobramentos.


O curso, que vem sendo realizado desde junho, realizará o terceiro módulo no dia 21 de agosto, e terá o tema “Exploração de Gênero no desenvolvimento do turismo”, com a mediação de Drª Maria Jaqueline de Souza Leite, Coordenadora Geral do Centro Humanitário de Apoio à Mulher.


Força Feminina realizada encontro Cirandas Parceiras

Tendo como proposta de fortalecimento das redes de atendimento socioassistencial, a sensibilização e a visibilidade para a complexa realidade das mulheres em situação de prostituição, o Projeto Força Feminina, Unidade Oblata em Salvador, realizou, no último dia 16 de julho, mais um Encontro de Cirandas Parceiras.

O evento que contou a palestra de Iana Damaceno, do Núcleo de Enfrentamento ao Trafico de Pessoas – NETP, buscou trabalhar a temática do tráfico de pessoas na perspectiva da prostituição – mais uma iniciativa das atividades do “JULHO AZUL” (mês de conscientização e enfrentamento ao tráfico de pessoas), da qual o Projeto Força Feminina e outros parceiros têm refletido junto com o NETP.

 Na oportunidade, o Encontro de Cirandas Parceiras de julho contou com a presença de parceiros, a exemplo de Paulett Furacão – liderança LGBT´s do Município de Salvador; Célio Maranhão – representante Jubileu Brasil e diversos estudantes dos cursos de Serviço Social e Pedagogia, das Faculdades do Salvador, Dom Pedro II e Vasco da Gama que participaram com intuito de conhecer e de se aprofundar no trabalho desenvolvido por estas renomadas instituições.

A atividade foi finalizada com a entrega dos certificados e a partilha de um coffee breack.

Encontro Regional do Grito dos Excluídos

Nos dias 10 e 11 de julho, a Caritas realiza na cidade de Feira de Santana o Encontro Regional do Grito dos Excluídos, com o tema: Que pais é este, que mata gente, que a mídia mente e nos consome? Que neste ano de 2015 acontece o 21º passeata do Grito contou com a participação de representes indígenas, quilombolas, movimentos dos pescadores, pastorais sociais e articuladores das regiões de Irecê, Senhor do Bonfim, Jequié e Feira de Santana.

Com o objetivo de realizar uma análise de conjuntura do tema e realizar diálogo de articulação sobre: Direitos Básicos, Diversas formas de Violência, Função do Estado e Participação Política.
Nesses dois dias que aconteceu o encontro foram muito produtivos, podendo assim trabalhar propostas de ações para a realização do Grito e encaminhamentos. Nesta dinâmica o Encontro Regional do Grito dos Excluídos levanta sua bandeira de luta.

Traga a bandeira de luta deixa a bandeira passar, essa é a nossa conduta vamos unir pra mudar.